Cara formadora da empresa, licenciada: concordo consigo quando diz que "num país onde não há grandes oportunidades, há-que agarrar todas as que nos surgem certo?", no entanto há que ter em conta que qualquer pessoa no seu perfeito juízo procura uma oportunidade de crescer profissionalmente e, acima de tudo, de alcançar alguma autonomia financeira - ou mesmo ganhar o suficiente para satisfazer as suas necessidades básicas, como comida e habitação. Ora, esta empresa(já não sei que nome hei-de mencionar) não só não oferece quaisquer garantias, como ainda implica que o trabalhador "invista" em alimentação, deslocações, enfim, todas as despesas inerentes ao desempenho da função.
Faça da procura de emprego o seu trabalho, não importa quanto tempo leve fazendo isso. Katharina, mencionada antes, adotou essa atitude profissional. Ela diz: “Consegui com uma agência de empregos os endereços e os números de telefone de alguns empregadores. Respondi a anúncios nos jornais. Examinei a lista telefônica e fiz uma relação das empresas que poderiam ter vagas que ainda não tinham sido anunciadas, e então as contatei. Também preparei um currículo e o enviei a essas empresas.” Depois dessa procura sistemática, Katharina conseguiu um emprego que preenchia suas necessidades.
Como a todos os outros disseram me qiue iria ter uma entrevista com o director e na qual (depois de ter perguntado) ele me falaria entao do ordenado visto poderem ser varios dependendo da experiencia e outras questoes (que ainda tou para saber quais sao).Alem disso como estou a tirar um curso ao fim de semana informei logo essa situaçao pois como todos sabemos se fosse para um call center nao exitem fins de semana e ai nao seria necessario eu sequer ir á entrevista, mas , ao que a rapariga me informou que nao haveria qq problema. Visto ja ter ido a algumas entrevistas que achei uma perda de tempo e dinheiro resolvi investigar esta nao fosse acontecer o mesmo outra vez, e nao é que nao me enganei???lol, quero agradecer a quem postou a primeira e seguintes informaçoes pois foram bastante uteis.
A consultoria é um trabalho que pode ser muito lucrativo, sendo uma concessão do profissional aos clientes de seus conhecimentos sobre dado assunto. Mas, você pode se questionar sobre essa carreira online, já que parece que hoje em dia todo mundo é um consultor. Sim, é verdade! Por isso, caso decida tentar seguir esse caminho, é preciso que você não só seja capaz de fornecer valor e entregar resultados aos seus futuros clientes, como também precisará conseguir se destacar de todos os profissionais medíocres que estão por aí.
O que está envolvido em se preparar para uma entrevista? Talvez queira fazer uma pesquisa sobre a empresa na qual você espera trabalhar. Quanto mais souber sobre a empresa, melhor será a impressão que causará durante a entrevista. Sua pesquisa também o ajudará a descobrir se a empresa tem o tipo de trabalho que você quer ou se é nela que deseja trabalhar.
Provavelmente você ja tenha ouvido fala da udemy, pois seu modelo de negócio é parecido com o modelo Clowd leardnig, pois na plataforma conecta prudutores de cursos online, com alunos que deseja realmente se aprofunda em diversos assuntos. Na Udemy é ofercido para o produto do curso, varias ferramentas, onde ele poderá fazer upload ,  de conteúdo em vídeo, apresentação de powerpoint, PDFs, Áudios, arquivo zipado, e aulas ao vivo.
Não vale a pena desfazerem-se em justificações e acusarem os portugueses de preguiçosos, refilões e pouco empreendedores, e de dizerem que é assim que o país não vai para a frente. Se realmente a vossa empresa é honesta, informem, desde logo, os candidatos acerca das funções a desempenhar, dos horários e das condições. Quem quiser arriscar, arriscará - todos os outros são livres de não aceitar. Se perdem ou ganham, é lá com eles, certo?
Quando encontrarem alguem com um colete da UNICEF, fazem parte da AXES market que usa outro nome para fugir aos impostos e são uns aldrabões de primeira. o sistema de recrutamento e o mesmo aqui descrito por outras pessoas mas o intuito e de angariar donativos e não D2D. So gostam de quem trabalhe a recibos verdes porque assim lavam as mãos em caso de infortunio e alteram o nome no formulario do donativo angariado caso a pessoa vá embora e assim ficam com a comissão indevidamente. Dizem que se a pessoa não fica e porque não queer trabalhar e dizem que aquele trabalho e que é bom... enfim.
Estás desculpada. Parabéns, pela tua "incoming promotion" certamente, deves ver os teus atributos académicos recompensados em bateres a umas portas e a percorreres uns quarteirões. Podes ter a certeza que não contamos contigo para resolver os "nossos" problemas "psiquiátricos", para tal seria necessário um Psiquiatra. Quanto a forma honesta, julgo, não, tenho a certeza que posso discordar. Gostaria de saber como foram processados os teus descontos para a segurança social? Esta uma das perguntas, se quiseres tenho muitas mais. Para finalizar, oportunidades todos nós as queremos, apenas exigimos transparência, nada mais!! P.S. Minha querida psicóloga, devia ter aprendido que numa primeira abordagem, nunca devia ser tão agressiva. Para além de deixar "fios soltos" por onde as pessoas podem pegar, os insultos gratuitos (passo a citar: neuróticos, vidinhas insignificantes, fazer mais dinheiro que voçês e toda a vossa família), só demonstram um falso conforto para com a vida que leva e com aquilo que pretende...
trabalhei lá alguns meses e realmante abrem escritórios do nada e dizem que é com muito esforço. Os donativos são feitos por transferência bancaria e se não fizermos o mínimo passamos por MALANDROS PUROS E ANDAMOS ALI A PASSEAR PELA CIDADE EM VEZ DE NOS DEDICARMOS AO QUE NOS TIRA DA MISERIA, dizem eles. Queriam à toda a força que eu fosse chefe de equipa e quando recusei uma proposta mirabolante em que me pagavam tudo e mais alguma coisa mudaram de postura e passado um mês despediram-me, eu já lá devia tar a causar comichão, porque ja passo dos 30 e conheço bem os meus deveres e os deles enquanto entidade empregadora.

Não existe o trabalho perfeito, nem as óptimas circunstâncias, EM LADO NENHUM MEUS AMIGOS! Mas digo-vos, existem grandes empresas a recrutar constantemente e de notoriedade Internacional que estão em recrutamento constante... deixo alguns exemplos para vos ajudar... Zara, MacDonald's, H3... experimentem.. certamente irão ter oportunidade de desenvolver uma grande carreira... ou então não, mas nunca se esqueçam... quando as coisas correm mal.. a culpa é sempre do mercado de trabalho.. nunca nossa! ok?
Cada vez mais pessoas fazem compras online. Isto criou um mercado gigante, em sites como a Amazon ou eBay, bem como a oportunidade de qualquer pessoa poder vender quase qualquer artigo pela Internet. Se pretende fazer um extra, considere vender artigos que já não usa. Se quiser ser mais criativo ainda, e possivelmente arriscar um pouco, considere vender artigos que os seus familiares ou amigos não precisam e receba uma comissão.
O perfil predominante é de dona de casa, com média de 34 anos de idade. 71% delas dizem que o trabalho é uma fonte adicional de renda familiar, já que o marido trabalha ou elas têm outra fonte de renda. 70% delas têm curso superior ou em andamento. O trabalho, dependendo da escala de cada profissional, varia de 6 a 7 horas por dia. É interessante que 40 % delas dizem que ganhavam mais num emprego anterior, mas ainda assim estão mais satisfeitas em casa.  
“Sempre trabalhei com contabilidade em grandes empresas. Minha cartela de clientes era grande e meu salário também, mas vivia sobrecarregada, cansada, estressada. Não tinha tempo para nada nem ninguém. Para se ter uma ideia, casei em uma sexta-feira e já tive que retornar ao trabalho na segunda-feira seguinte. Minha vida era assim: non-stop! Até o dia em que descobri que estava grávida. Não tinha planejado - até porque se fosse planejar nunca acharia tempo! O susto me fez parar e avaliar minha vida naquele momento. Não era saudável! E do jeito que minha rotina era bagunçada, sabia que mal conseguiria passar tempo com meu filho, mas pensava: “Tantas mulheres dão conta... Não sou eu quem vai abrir mão da carreira”. Então, mesmo sabendo que não era o ideal para mim, estava decidida a retornar após minha licença-maternidade. Trabalhei até a véspera do nascimento de Gabriel, estressada. E tenho certeza de que esse estresse todo refletiu no parto -- queria normal, mas fui obrigada a fazer cesárea. E meu filho ficou na UTI neonatal por uma semana com problemas de respiração. Isso tudo me fez pensar se era esse o exemplo que queria dar a ele. Então, após o primeiro mês, que foi o mais puxado, comecei a pesquisar na internet como funcionava o trabalho de consultoria contábil online. Meu marido, designer, me ajudou a montar uma página na internet em que eu ofereceria meus serviços como contadora. Comecei a conversar com amigos e pessoas da minha rede: eles estavam felizes com seus contadores? Do que sentiam falta? Se pudessem, prefeririam contratar um serviço personalizado, em vez de contratar uma empresa? A partir de um feedback superpositivo, percebi que não precisava continuar no meu emprego para poder trabalhar! Montei, então, três pacotes diferentes para atender perfis distintos e comecei a divulgar pelas redes sociais -- tudo isso, claro, no anonimato, pois ainda estava empregada. Em cerca de três semanas já tinha fechado pelo menos quatro contratos. Assim, criei coragem de pedir demissão assim que retornei da licença.
×