Estás desculpada. Parabéns, pela tua "incoming promotion" certamente, deves ver os teus atributos académicos recompensados em bateres a umas portas e a percorreres uns quarteirões. Podes ter a certeza que não contamos contigo para resolver os "nossos" problemas "psiquiátricos", para tal seria necessário um Psiquiatra. Quanto a forma honesta, julgo, não, tenho a certeza que posso discordar. Gostaria de saber como foram processados os teus descontos para a segurança social? Esta uma das perguntas, se quiseres tenho muitas mais. Para finalizar, oportunidades todos nós as queremos, apenas exigimos transparência, nada mais!! P.S. Minha querida psicóloga, devia ter aprendido que numa primeira abordagem, nunca devia ser tão agressiva. Para além de deixar "fios soltos" por onde as pessoas podem pegar, os insultos gratuitos (passo a citar: neuróticos, vidinhas insignificantes, fazer mais dinheiro que voçês e toda a vossa família), só demonstram um falso conforto para com a vida que leva e com aquilo que pretende...
Os infoprodutos são basicamente, ebooks, imagens, apostilas, vídeo aulas, cursos online, aplicativos, reencasts, kits entre muito outros. Ao contrário do que muita gente pensa, ganhar dinheiro com informação digital é fácil, simples e legal. A revenda também torna ganhar dinheiro online com infoprodutos uma boa ideia, já que não existe logística para isto.
Muitas pessoas estão olhando para a internet como uma forma de ganhar uma renda adicional a tempo parcial ou mesmo a tempo integral. Pode ser uma boa ideia, mas com milhões de opções disponíveis, e sites que proclamam ter as respostas para as perguntas que você nem sequer pensou, por onde começar? Este artigo irá oferecer-lhe conselhos que, pelo menos, você começado na direção certa para se tornar um empreendedor online e poder ganhar dinheiro com o seu próprio negócio em casa. Você provavelmente está lendo este artigo apenas por alguns motivos:
“Quando engravidei, comecei a pesquisar tudo sobre maternidade, até porque, era um mundo completamente novo e cheio de dúvidas. Na época, comecei a publicar insights da minha gravidez no meu Instagram pessoal. E notei que as pessoas que curtiam e comentavam não eram meus amigos, nem meus familiares. Foi aí que meu marido me deu a ideia de fazer uma conta voltada exclusivamente para a minha gravidez. E fiz, sem pretensão nenhuma, o Mundo da Maria Fernanda. Só sei que, em uma semana, eu tinha mais de mil seguidores. Hoje, tenho quase 50 mil seguidores e sinto mais dificuldade do que no início. Isso porque, desde que comecei, há dois anos, teve um boom de contas no Instagram sobre maternidade, o que dividiu o público. Enquanto eu estava grávida, eu também tinha mais tempo para postar e a função me deixava ocupada: dividia com meus seguidores detalhes da decoração do quarto da Mafe, tudo sobre o enxoval, dicas para montar a mala de maternidade e também falava sobre temas voltados à saúde, como enjoo (que tive bastante) e melasma na gravidez. Eram dicas voltadas às futuras mães. Agora, falo de tudo um pouco dentro desse universo. No início, eu não cobrava publipost [posts feitos em troca de publicidade], hoje já cobro - mas apenas de novas parcerias, pois acredito que as antigas me ajudaram a chegar até aqui.  Publipost funciona assim: para que eu faça a divulgação de determinada marca ou produto, cobro um valor.
×