Preciso ter lucro daqui a 1 mês mais ou menos até mesmo para mais investimentos. Mas claro, quero começar de forma informativa, fazer um trabalho profissional, com conteúdo e isso gera tempo, pesquisa do que você irá incluir no seu site, elaboração de texto, imagens etc. Eu achava que era relativamente tranquilo, divulgar um infoproduto, mas não é. Se quiser fazer algo diferente tem que procurar muitas informações.

Esse trabalho consiste em vender um produto ou serviço de uma empresa  que terceiriza sua influência (que pode ser através de um mailing list que você conseguir construir, um blog ou mesmo nas suas redes sociais). Hoje, o chamado marketing de influência busca essas pessoas que são influenciadoras a fim de conquistar outros potenciais clientes, gerando não só vendas, mas também engajamento online.  
Há poucos dias comprei o livro “Quem Pensa Enriquece” pois muita gente já tinha me indicado. Coincidentemente, logo no primeiro Capítulo, o autor mostra a importância de transformar o desejo em uma ideia fixa, estabelecida, tracejada com planos e meios definidos para conquistá-la e ainda basear esses planos em uma persistência que não admite o fracasso…

Às 22 horas desse mesmo dia, completamente encharcada e cheia de feridas nos pés, caminhei com o líder até à estação do metro, onde este me disse que eu parecia ser uma pessoa empenhada e com muita força de vontade, mas não era extraordinária em nada e, assim sendo, ele não sabia se devia ou não recomendar-me ao director. Pediu-me que lhe dissesse o que tinha, então, de especial para ser escolhida entre os 5 que tinham passado à esta fase, pois só iriam ficar com uma pessoa - ou nenhuma, se não houvesse um candidato realmente à altura. Pressionou-me até eu responder que não sabia mais o que me distinguia dos outros e que, embora gostasse de ficar com o emprego, não teria qualquer problema se não fosse seleccionada, uma vez que respondera a diversas ofertas.


“Quando engravidei, comecei a pesquisar tudo sobre maternidade, até porque, era um mundo completamente novo e cheio de dúvidas. Na época, comecei a publicar insights da minha gravidez no meu Instagram pessoal. E notei que as pessoas que curtiam e comentavam não eram meus amigos, nem meus familiares. Foi aí que meu marido me deu a ideia de fazer uma conta voltada exclusivamente para a minha gravidez. E fiz, sem pretensão nenhuma, o Mundo da Maria Fernanda. Só sei que, em uma semana, eu tinha mais de mil seguidores. Hoje, tenho quase 50 mil seguidores e sinto mais dificuldade do que no início. Isso porque, desde que comecei, há dois anos, teve um boom de contas no Instagram sobre maternidade, o que dividiu o público. Enquanto eu estava grávida, eu também tinha mais tempo para postar e a função me deixava ocupada: dividia com meus seguidores detalhes da decoração do quarto da Mafe, tudo sobre o enxoval, dicas para montar a mala de maternidade e também falava sobre temas voltados à saúde, como enjoo (que tive bastante) e melasma na gravidez. Eram dicas voltadas às futuras mães. Agora, falo de tudo um pouco dentro desse universo. No início, eu não cobrava publipost [posts feitos em troca de publicidade], hoje já cobro - mas apenas de novas parcerias, pois acredito que as antigas me ajudaram a chegar até aqui.  Publipost funciona assim: para que eu faça a divulgação de determinada marca ou produto, cobro um valor.
×