Enfim, comentei com uma amiga e ela me falou logo que já tinha passado por uma situação semelhante e contou tudo o que vocês relataram, ela disse que foi horrível e que ainda durou uma semana, coitada.. Fiquei desconfiada e vim procurar saber, enfim, encontrei o vosso relato e já não ponho lá os pés. Andam a enganar as pessoas, colocam anúncio para administrativo e depois querem pôr as pessoas na rua a vender como ambulantes? Nada contra ambulantes, mas há que se falar a verdade, minha amiga também não viu a cor do dinheiro.
Eu já havia marcado entrevista com os ladrões, no entanto ao pesquisar na net para maiores informações sobre a empresa me deparei com os vossos relatos. Agora chamam-se AMBIÇÃO INTERNATIONAL MARKETING, LDA, a qual funciona na R dos Fanqueiros, nº. 277, 2º esq, 1100-213 Lisboa. Possuem os seguintes contactos 218885478 / 914552508, email info@aimportugal.com. Onde será que anda a ACT que não vê esses charlatões???
Trabalhando de casa, o funcionário tende a ser muito mais produtivo porque ele não passa por dezenas de situações estressantes que passaria se precisasse se deslocar até a empresa. Recentemente as empresas Dell e Intel divulgaram um estudo onde afirmam que 54% dos brasileiros se consideram mais produtivos e motivados ao realizar o trabalho home office.
Procurando informações sobre o Treinamento Negocio Mobile da Karyne Otto?   Então, pode parar de procurar e tirar alguns minutos para ler esse artigo até o final. Nele eu conto tudo sobre como ganhar dinheiro pelo celular com o Treinamento Negocio Mobile, e ainda vou deixar um link especial para você fazer sua inscrição rapidamente e sem estresse. Quem já está acostumada a seguir o blog sabe que meu intuito é ajudar as mamães que querem trabalhar em casa e acompanhar o crescimento dos filhos, ou simplesmente ter Continue lendo→
O Portal não assume nenhuma responsabilidade decorrente da existência de links entre conteúdos deste site e conteúdos situados fora do mesmo, ou de qualquer outra menção de conteúdos externos a este Website. Tais links ou menções têm uma finalidade exclusivamente informativa e, em nenhum caso, implicam o apoio, aprovação, comercialização ou relação alguma entre o PORTAL e as pessoas ou entidades autoras e/ou administradoras de tais conteúdos ou titulares dos sites onde se encontrem.
Se lhe está a correr bem, óptimo. A principal questão que se coloca aqui é a honestidade e a ética, que não existem! Numa empresa séria as pessoas vão a entrevistas e são seleccionadas com base no seu perfil, isto é, se aparentam ser os candidatos certos. No caso desta empresa, os entrevistadores dizem que só têm uma vaga e, quando lhes é perguntado se há um tempo à experiência(como em qualquer emprego), dizem que não porque, precisamente, só escolherão o candidato que têm a certeza que seja capaz de desempenhar as funções em causa - que não são andar de porta em porta, claro que não! Se bem que eu tive a oportunidade de ver a assistant manager várias vezes a fazer isso, mas enfim...mentem acerca de tudo, incluindo horários, contratos e remunerações, de tão desesperados que estão para construir equipas, porque o que recebem provém mais das vendas daqueles que recrutaram do que propriamente das vossas - e as desistências são tão comuns que têm que andar sempre à procura de mais pessoas, às quais aplicam as técnicas de venda que depois ensinam, para que as utilizem com os clientes. Que tipo de trabalho tem que ser vendido ao candidato? Normalmente é ao contrário! E que tipo de empresa em expansão e bem conotada em vários países muda nome com tamanha frequência?
É um site internacional, mas com uma plataforma em português, que paga para preencher inquéritos. No GlobalTestMarket recebe o convite para preencher inquéritos via email. A cada inquérito preenchido acumula pontos (Marketpoints) e estes podem, posteriormente, ser trocados por um cheque. No entanto, para o solicitar, tem de ter no mínimo 1000 pontos. Recebe em euros.
Em ambos os meios, a comunicação deverá ser clara quanto à solicitação do usuário. A entrega dos dados de caráter pessoal através de qualquer meio estabelecido no Portal, supõe a autorização expressa do Usuário para realizar o tratamento assinalado nos parágrafos anteriores. Não obstante, se não desejar que seus dados de caráter pessoal fornecidos sejam tratados com fins comerciais e para o envio de publicidade própria ou de terceiros, dos setores mencionados, poderão opor-se solicitando o cancelamento de envio das mensagens, preferencialmente, através de link próprio para a exclusão ou conforme outra orientação indicada no rodapé da publicidade.

“Sempre trabalhei com contabilidade em grandes empresas. Minha cartela de clientes era grande e meu salário também, mas vivia sobrecarregada, cansada, estressada. Não tinha tempo para nada nem ninguém. Para se ter uma ideia, casei em uma sexta-feira e já tive que retornar ao trabalho na segunda-feira seguinte. Minha vida era assim: non-stop! Até o dia em que descobri que estava grávida. Não tinha planejado - até porque se fosse planejar nunca acharia tempo! O susto me fez parar e avaliar minha vida naquele momento. Não era saudável! E do jeito que minha rotina era bagunçada, sabia que mal conseguiria passar tempo com meu filho, mas pensava: “Tantas mulheres dão conta... Não sou eu quem vai abrir mão da carreira”. Então, mesmo sabendo que não era o ideal para mim, estava decidida a retornar após minha licença-maternidade. Trabalhei até a véspera do nascimento de Gabriel, estressada. E tenho certeza de que esse estresse todo refletiu no parto -- queria normal, mas fui obrigada a fazer cesárea. E meu filho ficou na UTI neonatal por uma semana com problemas de respiração. Isso tudo me fez pensar se era esse o exemplo que queria dar a ele. Então, após o primeiro mês, que foi o mais puxado, comecei a pesquisar na internet como funcionava o trabalho de consultoria contábil online. Meu marido, designer, me ajudou a montar uma página na internet em que eu ofereceria meus serviços como contadora. Comecei a conversar com amigos e pessoas da minha rede: eles estavam felizes com seus contadores? Do que sentiam falta? Se pudessem, prefeririam contratar um serviço personalizado, em vez de contratar uma empresa? A partir de um feedback superpositivo, percebi que não precisava continuar no meu emprego para poder trabalhar! Montei, então, três pacotes diferentes para atender perfis distintos e comecei a divulgar pelas redes sociais -- tudo isso, claro, no anonimato, pois ainda estava empregada. Em cerca de três semanas já tinha fechado pelo menos quatro contratos. Assim, criei coragem de pedir demissão assim que retornei da licença.


Pense nisto como uma maneira de multiplicar o seu dinheiro. Claro que você é livre de fazer o que quiser com o dinheiro que ganhar, mas eu recomendo-lhe a fazer o reinvestimento no jogo. Depois de algum tempo pode investir em outras coisas como propriedades imobiliárias, acções ou num novo negócio. Quem sabe, até poderá encontrar-se na minha situação. Eu percebí que existem coisas mais importantes do que o dinheiro, e este método permitiu-me arranjar uma maneira para beneficiar a sociedade. É por isto que eu faço doações monetárias para a caridade, e é a razão pela qual eu decidí fazer este tutorial.
“Trabalhava em uma agência de propaganda e, assim que comuniquei que estava grávida, fui demitida. Passei a gravidez inteira pensando no que faria para ganhar dinheiro - o que foi ótimo, pois consegui me planejar com calma e organização. Só tinha uma certeza: não queria ser apenas um número em qualquer empresa; não seria mais descartável. Então, fui ser minha própria chefe. A ideia de lançar minha marca infantil, a It Babies, surgiu quando comecei a procurar roupas para a minha filha e tive dificuldade de encontrar peças básicas e acessórios descolados. Foi aí que identifiquei uma brecha no mercado. Para poder ficar com a minha filha, optei pela venda online, pois conseguiria trabalhar e divulgar os produtos de casa. Além disso, é uma opção mais barata, pois não pago aluguel, não preciso de funcionários, não tenho horário. A plataforma online é mais prática também: o controle do estoque é automático e a exposição dos produtos é mais organizada. Apesar de ser virtual, o cliente se sente mais seguro quanto ao pagamento e políticas de troca do que ao fazer uma compra pelo Instagram, por exemplo. Para escolher a plataforma que melhor me atendia, pesquisei muitas lojas virtuais e fui anotando tudo de que gostava e não gostava sobre o processo de compra. Passei tudo para uma agência especializada e eles me deram sugestões. Uma boa plataforma faz toda a diferença, pois é o que substitui o contato físico; é a ponte entre você e o consumidor.
×